sexta-feira, 9 de maio de 2008

65.

Foto de M

Por um triz, diz-se. Um quase nada, um instante, corpo e alma aos trambolhões, separados um do outro na vertigem da queda, lá em baixo a bocarra do abismo sorvendo os gritos perdidos do desespero. Depois mais nada, apenas o silêncio ferido do eco. Por um triz, diz-se.
M

8 comentários:

Justine disse...

Um turbilhão, um fascínio, um labirinto de que se pensa ter encontrado a saída? E no momento seguinte, a razão, a aceitação. Por um triz, felizmente...
Beijo de dar força

bettips disse...

Roleta, felicidade ou não.
Sem alternativa.
Ou como dizia a Luísa aqui há muitos tempos, citando Mário de Sá Carneiro e o seu "Quase"

"Um pouco mais de azul...".
Bj

TINTA PERMANENTE disse...

O triz é a distância que se mede por inteiro... depois!

abraços!

legivel disse...

"... não o vi juro! estava a olhar para o outro lado da rua e ele veio em marcha-atrás e apanhou-me mesmo em cima da passadeira dos peões nem tive tempo de me proteger e agora nem me consigo levantar."

- Vá lá, Rute! Salta da cama que não tarda nada são horas de ires para a escola. E vê se perdes esse mau costume de falares para o boneco. Porque diabo está este carro no chão? Para alguém o pisar e se magoar seriamente?

mena m. disse...

No momento do por um triz caminha-se descontroladamente sobre a corda bamba da vida e no último instante recobra-se o equilíbrio...

Eremit@ disse...

as palavras são suaves. Suave o texto. Acabamos de ler e fica um grito a doer no peito.
Fraterno abraço

herético disse...

por um triz. o gume da vida...

belo

Carmen disse...

Adorei...

Brilhante jogo de palavras sabiamente colocadas... como se fosse um jogo de damas!!!!!

Até me arrepiei

Bravissimo!