quinta-feira, 24 de julho de 2008

72.

Foto de M

O olhar azul suspenso na curva do caminho e a mão que acena de longe um Já venho, não demoro esvoaçando ali como borboleta de asas delicadas. Momento de encontro na distância dos instantes. Até que a ausência volte a ser presença e afago macio sentido na pele. Agora, mais perto, apetece a urgência de subir e descer a vida em degraus de pedra forrados de musgo.

E haverá uma flor para oferecer. Mais logo.
M

12 comentários:

Licínia Quitério disse...

São a mesma - a escada que sobe e a escada que desce. Ainda o mistério da ausência/presença. Amaciaste a aspereza destas dúvidas com a promessa de flor. Bonito, bonito.

Beijos.

vida de vidro disse...

Como sempre, contido, bem escrito, pleno de sugestões que levam pela mão quem te lê. Subir e descer a vida. Faz sentido, quando chegamos a um determinado ponto de percurso. **

Justine disse...

Fotografia enriquecida com o texto/poema que a revela e alarga até outros horizontes para além da suave curva.
Muito, muito belo.

Luisa disse...

Esse "aé logo, já venho" é uma esperança para quem já desceu as escadas e para quem ficou lá em cima, à espera. Este teu pequeno mas poético texto sugere tudo o que possamos sentir quando nos despedimos de alguém que não sabemos se tornaremos a ver. Não sei se é isto que querias dizer mas, quando se escreve, são os que o lêm que se apropriam do seu sentido.

Anónimo disse...

M.
Há muito que não te visitava, por motivos vários, um deles, por estas magníficas máquinas, não nos obedecerem sempre... para espreitar e ler as coisas belas q escreves e descreves.
Penso que compreendo o que queres dizer... Aguardo a tua flor! Mais logo.
Um beijo e bom fim de semana.
mj

Marinha de Allegue disse...

Tan certo coma fermoso...

Beijos M.
:)

nnannarella disse...

Afinal, a esperança de meta auspiciosa que registei no PPP não dista muito dessa ausência de que falas, que nunca ausência chega a ser, porque é certo o reencontro. Com flor e tudo.
Momentos felizes. Absolutamente refrescantes.:)

jawaa disse...

Suave, delicado o tufo de flores singelas e o caminho lá ao fundo, sem retorno.
Lindo.
Boas férias também para ti.
Um abraço apertado.

heretico disse...

texto de magia(s) pleno...
como a flor (de nada) que buscamos. sempre...

admirável.

beijo

Sonia disse...

Como sempre, texto sutil e delicado como as flores quqe beiram esse caminho.

Maria Laura disse...

Haverá uma flor para oferecer, concerteza. Obrigada por estas preciosidades que nos envolvem e encantam.

LÉRIAS disse...

abraço-te, querida m.,
num abraço cheio de musgo.............