sexta-feira, 12 de setembro de 2008

80.

Foto de M

Por causa da desproporção entre o olhar lançado do alto e as flores rente ao chão apetece pôr-me de cócoras como as crianças e assim me deixar ficar em silêncio de entendimentos. Contemplá-las minutos a fio, sorver-lhes a cor, a delicadeza do recorte, a simplicidade, a luz, a serenidade da sua presença. Tocar em cada uma ao de leve com a ponta dos meus dedos entorpecidos, como se elas fossem pequenos sóis ardentes caídos do céu. E depois, num ímpeto, abraçá-las com o gesto amplo de braçado de flores.
M

8 comentários:

Justine disse...

Tudo isso e falar-lhes. Falar-lhes faz bem à nossa alma...

mena m. disse...

Apetece sim, tudo isso e tamb�m pousar a cabe�a nelas e deixar que nos massajem os pensamentos...

Que lindo post, Manuela!

Maria Laura disse...

Que doçura no teu texto! As flores são pequenas bençãos para o cansaço da alma.

bettips disse...

Podemos ser como o entendimento das crianças, baixando-nos com elas.
Crianças-flores-pequenas.
Verdes lindos, estes aqui e ali!
Bjinho

Licínia Quitério disse...

A foto, por si só, já é esse abraço de luz.

Beijo.

heretico disse...

a beleza (ou a perfeição) das pequenas flores. discretas. delicadas e sensíveis...

beijo

M. disse...

Por engano, cliquei no sítio errado e o comentário aqui deixado não foi publicado. Peço desculpa por isso e transcrevo-o.

Entre "aspas" http://simbolosdostempos.blogspot.com/ deixou um novo comentário na sua mensagem "80.":

A foto pr si revela toda a beleza da mãe natureza no seu estado mais puro,uma perfeita descrição.
Bjs Zita

Teresa Teixeira disse...

Que bom está a ser voltar a ler as tuas palavras e os teus pensamentos sempre tão bonitos!!!

Só agora percebi as saudades...

Tenho que «regressar» o mais depressa possível!

Beijinhos

T.