sexta-feira, 25 de setembro de 2009

102.


Foto de M

Fotografei-a assim, propositadamente escondendo-lhe o rosto, porque o que me cativou naquele momento foram a luz e o gesto branco, vagaroso, adivinhado na camisola posta em redor do pescoço. Como um abraço que se oferece, a serenidade pousada no silêncio da pele, personalidade pressentida no mistério que é ser-se presença casta na beleza de uma tarde de Verão.
Como uma vestal.
M

10 comentários:

tchi disse...

E assim registaste o teu olhar através dos silêncios que tantas vezes mais expressam.

Beijinhos.

legivel disse...

... este texto traçou inequivocamente o retrato de corpo inteiro da mulher fotografada...

Justine disse...

Os teus olhos viram, então é essa a realidade!

carmen disse...

Gostei tanto da foto da tua tia Chanel e do que ali escrevestes.
Estas memórias fzem parte também da minha infância, tal como escreveste.
Fiquei curiosa para ver as bonecas de pano; não tens fotos?
Abçs baianos, do outro lado do atlântico

Benó disse...

A modelo é certamente feliz para te transmitir toda a serenidade que tão bem soubeste captar.
"Como uma vestal".
Gostei particularmente deste final.
Um abraço.

heretico disse...

o braço e a pele sedosa...
sob o azul de vestal!

palavras deslumbrantes. as tuas

beijo

Licínia Quitério disse...

A serenidade, a luz coada, o branco, a seda da pele. Uma vestal, pudera!
Lindo texto. Magnífica foto.

Arabica disse...

Como as texturas do tempo,
diferentes,
brincam na textura do corpo, adivinhado.
Belo esse teu olhar. Azul.

Beijinhos

jawaa disse...

Linda a foto, nem é preciso dizer. Mas quero aqui felicitar-te pela troca de «cara» do blogue.
A outra era bonita, mas gostei desta, gosto muito.
Um beijo

Anónimo disse...

belíssima, Manela. mais do isso, perfeita.
e as palavras a condizer...
fb