sábado, 5 de junho de 2010

111.


Foto de M

Talvez seja na desproporção do que sinto que me encontro. Na luz que atravessa as sombras do indizível, na dispersão da cor que é vínculo, no diálogo das formas embebendo o silêncio.
M

6 comentários:

Justine disse...

É na beleza - qualquer forma de beleza -que encontramos a salvação deste tempo de crueldade.

bettips disse...

Flores ainda
e sempre
transportadas pelo amor de todos vós. Riem os vibrantes risos que afagam as crianças: as que fomos, as que estão.

heretico disse...

talvez a tua sensibilidade e inconformismo. exacerbando a proporção. que me parece certa e serena em suas cores...

beijo

Mónica disse...

és a jarra grande ou a pequena? :P

Licínia Quitério disse...

O contraditório que não nos deixa aperceber o tamanho das coisas felizes. É mesmo assim, como dizes: uma plenitude e uma incompletude que não sabíamos podia acontecer.

Um beijo.

jawaa disse...

Às vezes até tenho acanhamento de ser táo distraída. Não venho ver as tuas reflexões, há quanto tempo?
Sei lá, se calahar porque ando por aqui perdida com as minhas que me tiram o sopro.
Desculpa.
Fotos magníficas, palavras mansas que sempre gosto de ler.
Preciosa esta fotografia, as flores, os arranjos.
Um abraço