quinta-feira, 14 de julho de 2011

137.


Foto de M

Não faço ideia que pensamento terá ecoado na cabeça de quem o sujeitou à função de porteiro tristemente encostado ao desgaste do Tempo, a alma pesada de silêncio forçado. Mas talvez, no seu desconforto, receba a ternura dos caminhantes de passos leves lembrados da amplitude humana da sua voz, agora sussurro de memórias pousado sobre as pedras do chão. Talvez.

M

4 comentários:

Justine disse...

Como sempre, um olhar especial acompanhando um texto muito poético!

heretico disse...

as vozes do Silêncio. que vibram, apesar de tudo!

beijos

frioleiras disse...

passei por aqui... desde há mt afastada dos blogs..................

bonito, como sempre :-)

saudades desses tempos de net...

R. disse...

Talvez anuncie novas chegadas aos que mantêm a sua porta sempre aberta.