quarta-feira, 3 de agosto de 2011

138.


Foto de M

Gosto de mesas desarrumadas em esplanadas à beira-mar. São fragmentos de gestos inscritos no corpo dos instantes, desenhados alguns no invisível, palavras baloiçando entre silêncios e olhares presos no mistério do outro, o pensamento diluindo-se na distância azul.
Anónimas migalhas de momentos que a uns e outros pertencem, tão depressa varridas e empilhadas em tabuleiro de rotinas pela mão de um empregado de serviço indiferente aos nomes e às memórias que elas guardam.

M

4 comentários:

Anónimo disse...

Gosto
de me sentar à mesa do mar
espalhar amigos e frases
olhos

ou, até, silêncios
ou mesmo solidões

Bjs da bettips

Justine disse...

O teu olhar especial, que transforma uma cena quotidiana em poesia do dia-a-dia! Muito bela a tua reflexão, diria universal e não caseira:))))

heretico disse...

gosto dos fragmentos que inscreves no corpo das palavras.

e que assim tão bem cobres de beleza o instante.

beijos

bettips disse...

Procurava uma maçã
desarrumada dos ramos.
Um
je ne sais quoi
Bjinho