sábado, 1 de março de 2008

53.

Foto de M

A curva de um silêncio que me fala da natureza das coisas e me faz companhia como um animal de estimação.

(Nem cão nem gato. O meu é pato de história de crianças, oferecido por mãos de meninos num tempo que foi meu e deles.)

Para mim, o silêncio é um corpo que se move no espaço, em diálogo íntimo com os pensamentos e as coisas. Quase que uma dança, qualquer que seja a sua amplitude, onde encontro gestos desenhando curvas e imagens. E onde encontro palavras ditas e ouvidas, minhas e de outros, nessa neblina que as envolve e lhes pertence. Não sendo estático nem linear, porque vivo, o meu silêncio descobre perspectivas e gradações diversas do mundo e entrelaça-as com as memórias que moram dentro de mim. Um caminho mental que percorro, particular e de certo modo solitário, ainda que, por outro lado, acompanhado. É como ter um animal de estimação…
M

26 comentários:

Frioleiras disse...

como te compreendo... tenho alguns desses silemciosos companheiros que amo mais que muitos valores e afectios... talvez pelo silêncio acompanhado que me dão...

bjs, m.

bettips disse...

As palavras e as formas procuram-te no silêncio da casa: tal como o gato. Curva-se o (meu) gato, o (teu) cisne, sobre memórias de partilha passada.
Linda, a tua cortina de pensar.
Bjinhos

rui disse...

Olá Manuela

"...o silêncio é um corpo que se move no espaço, em diálogo íntimo com os pensamentos e as coisas."
Nunca me ocorreu pensar o "silêncio" desta forma!
Lindo!

Abraço

nana disse...

é....


daqueles cuja linguagem ninguém entende.




mesmo
tu,
sua dona
e companheira
de.






..

Anónimo disse...

Na minha verdade..o silêncio, é das coisas que mais me diz, dizem e transmite..( devo ser louco :-)
) chamo ao meu silêncio
"imponderável voando"..
Tu és um silêncio (na minha verdade), que consegue perscrutar a mente da alma..(não ligues e desculpa, ás vezes..se calhar sempre..nem sei bem o que digo, digo o que penso)..

Abraço

intruso

Justine disse...

Uma lição, num texto magnífico, de como os silêncios estão carregados de música e de como os objectos dialogam connosco, numa troca de memórias
E de como se pode ter um animal de estimação,inusitado, sempre que se queira

Maria Laura disse...

É no silêncio (nosso e dos objectos que nos acompanham) que nos encontramos connosco.
Eu gosto mais de gatos. :))

Anónimo disse...

Manuela
Estou com o Rui...o silêncio é um corpo que se move no espaço, em diálogo íntimo com os pensamentos e as coisas...
Gostei destes teus silêncios!
Um beijo
mj

tolilo disse...

o teu cisnezinho

em silêncio

branco...

olha-me e diz-me que me irá contar uma história

rosa...

quando eu, na caminha, quiser
adormecer.


Chuac!_

pardal de telhado disse...

Será que os cisnes têm a cabeça parecida com os pardais?

Não... são mais serenos

de certo!

~~~~~~~~~~~~~~~~

jawaa disse...

É com certeza, um animal de estimação, aquele que todos precisamos de ter, mesmo entre outros.
Gostei de ler-te.
Abraço

legivel disse...

... tenho muita dificuldade em escrever sobre o silêncio. Para escrever sobre o silêncio necessito de silêncio absoluto. Ora é sabido, que silêncio absoluto é coisa que não consigo obter nos tempos de hoje. Cheguei mesmo a mudar-me de armas e bagagem para o interior e, num olival a perder de vista e sem alguém que se topasse, iniciei a minha tentativa. Qual quê! a conversa dos passarocos, o cantar das águas do riacho a correrem e a voz da forte ventania que se levantou, acabaram com o sonho. Isto é tão verdade, como o som das teclas ao escrever este comentário, terem afastado para outra sala o meu gato Zorba... que detesta barulho quando se prepara para dormir. Bom, vou à vida. Que é como quem diz, vou comprar um tambor para o meu neto Filipe que diz que quer tocar bateria numa banda famosa. Eu sei bem o que ele quer: dar-me cabo dos ouvidos e acabar com o que resta do pouco silêncio que não tenho.


abraço e parabéns pelo texto.

Vanda disse...

Manuela,

a paz de todas as coisas.


:)

gostei muito de a ler, obrigada!

mena m. disse...

Que pato lindo Manuela!

Alheado de tudo o que o rodeia, viajando contigo no pensamento...

Fantástica a tua descrição do silêncio!

Beijinho

TINTA PERMANENTE disse...

Saiu, disse-me ele, de uma antiga história que fala de uma princesa que guardava patos...


abraços!

Licínia Quitério disse...

Como bem falas desse animal de estimação que se instala, sem pedir licença, e levita no ar das nossas salas.

Um grande beijo.

despertando disse...

Como te compreendo, a ti e ao teu silencio....
Beijinho com carinho.
Gosto do cisne.
Um dia passa por Óbidos, é muito agradável.

Bruxinhachellot disse...

"...o sil�ncio � um corpo que se move no espa�o..."
Eis uma excelente reflex�o. Adorei.

Beijos de Sol e de Lua.

T S disse...

olá
adorei seu blog
convido vc para lusitana ilusao,espero que goste
ts

Oliver Pickwick disse...

Agora que escreveu, M., concordo que o silêncio é de fato um ente similar à uma companhia. E por certo tem poderes desconhecidos, deu um toque de vida ao pato.
Beijos, e dias felizes!

P.S.: Aqui no Brasil, chamamos este "pato" de ganso. O pato tem o pescoço bem mais curto.

hfm disse...

O silêncio - eco do tempo!

herético disse...

a música do (teu) silêncio. vibrante silêncio. sonata(s) de silêncio. de que és maestrina...

admirável silêncio.

miruii disse...

Ai, hoje só encontro pássaros!
Como eu gosto deles!
Mas tenho de precaver-me, alguns querem-me para petisco...
Piquei, fui....!

Sonia disse...

Que grata surpresa, passo hoje por aqui e vejo que resolveu repor não só gestos mas suas belas palavras e fotos. Que bom reabrir a persiana para que possamos vislumbrar um pouco desse seu mundo tão íntimo.

eremita disse...

da construçãso do silêncio e das construções nele e com ele feitas. Como entendo do que falas...Só não o sei dizer assim tão belo e suave, seguro e leve como algo que se solta do ser.
Fraterno abraço

tolilo disse...

e lá venho eu ao patinho.
bjnh tia m.