sábado, 26 de abril de 2008

63.






















Foto de M

Pergunto-me o que leva algumas pessoas a coleccionar bengalas, como se precisassem de amparar todas as partes do corpo de uma vez só. E isto, claro, partindo eu do princípio de que elas têm a função de acompanhar os passos trôpegos de alguém. Nem sempre, dir-me-ão. É verdade, por vezes são apenas objectos de arte que dá prazer ter em casa como decoração. Ou relíquias de outras épocas, ou modas em que as bengalas parecem ser um adereço a combinar com o fato escolhido para o passeio do dia, sendo as suas características mais ou menos ergonómicas consideradas de importância relativa. Mas isso não interessa, pelo menos aparentemente, suponho. Prevalecerão a estética, ou a fantasia, sobre o incómodo que deve ser, por exemplo, passear durante muito tempo com a mão apoiada sobre a cabeça de um cachorro talhado em madeira tosca. Gesto adoptado de bom grado, porém, na falta do cão de verdade que se desejaria afagar e levar a passear pelas ruas do bairro. À solta o pensamento e livre a caminhada, guardada a trela no bolso do blusão, que a liberdade tem que ser vivida a dois e basta a obediência adivinhada na voz do dono para acautelar desatinos caninos.
Sim, são divagações minhas, eu sei. Mas como é que eu posso ter certezas se neste ramalhete de bengalas elas têm, na sua maioria, a forma de pontos de interrogação?
M

10 comentários:

mónica disse...

tb n compreendo tal colecção :P

bettips disse...

Eu gosto da elegância. E da tua foto, a pensar.
E penso escolher uma um destes dias, antes de precisar dela. Repara com que destreza mestre Vitorino de Almeida a usa há que anos! Sempre me fascinou...
Já tenho fotografias de algumas!
Será ...uma extensão do corpo? um tactear extra...?
Bj

Justine disse...

Delicioso texto, M., cheio de ironia nos vários trilhos que percorre, até ao "finale" inesperado, realista e cheio de humor! Encantou-me! No fundo, no fundo, bengalas, foto e texto, tudo é uma questão estética :))

jawaa disse...

Irei eu precisar de uma, um dia?
Se for para cumprir o que disse a Esfinge...

miruii disse...

Não vou precisar disso... já tenho seis. Mesmo que uma falhe...
Piquei a agradecer só...

herético disse...

bengalas há muitas. claro...
mas há sempre uma que se adapta melhor à mão.

ironia q. b.

adorei.

Maria Laura disse...

Certezas nunca temos... nem sequer a respeito de bengalas! Gostei muito do texto, pleno da ironia que por vezes deixas transparecer.

Licínia Quitério disse...

Deliciosas reflexões sobre a improvável função dessas bengalas. Pelo menos, uma delas recebe um chapelito em equilíbrio instável. :))

Teresa David disse...

Gosto imenso de bengalas e s� n�o tenho uma colec�o porque as que mais me agradam s�o muito caras. J� tive meia duzia mas ofereci a quem delas precisava mesmo para facilitar o andar, fiquei com 3, e uma delas j� me foi por v�rias vezes �til quando os ossos me incomodam mais do que o devido.
No entanto, por curiosidade, dir-te-ei que a maior colec�o que vi foi em Viena de Austria em casa do Vitorino de Almeida que possui centenas e todas lindas de morrer. Ali�s ele anda sempre com uma debaixo do bra�o, pois felizmente n�o necessita para apoio.
Mas a tua foto resultou muito bem.
Bjs
TD

Eremit@ disse...

ora, porque são bengalas plebeias que passam a vida aperguntar-se para que servem. As outras co cabeças ou figuras outras, tantas vezes em materiais raros e caros nãop se interrogam porque já sabem ao que andam por aí.
Por vezes são úteis.Por vezes.
Fraterno abraço