quinta-feira, 18 de setembro de 2008

81.


Foto de M


Assim fotografei a palavra “Ruína”, tema desta semana no jogo Fotodicionário, e aqui lhe acrescento o pensamento que me levou a escolhê-la.

Porque me parece que a degradação, qualquer que seja o corpo que habita, poderá fechar a porta ao amor pela vida nas suas diversas e complexas expressões. É ferrugem que corrói, que cava buracos fundos, que prende a esperança em trincos por abrir.
M

13 comentários:

Maria Laura disse...

Talvez tenhas razão. Mas, por qualquer estranho motivo, gosto de fotografar squilo a que chamo de "abandonos". Porque, na verdade, é o abandono que leva à ruína.

bettips disse...

Um pensamento coerente, teu. E a foto se faz palavra.
Bj

heretico disse...

e ruina emperra o coração.sem dúvida...

lucidez e sensibilidade. sempre

beijo

Justine disse...

Pode ser assim, mas também pode ser ao contrário, M.: a falta de amor, a solidão, pode levar à degradação e à ruína. Tema melindroso e inquietante, este.

vida de vidro disse...

Mas há degradações impossíveis de impedir. Tal como as suas consequências. Este tema levava-nos longe. **

Marinha de Allegue disse...

O paso do tempo esferruxa e corroe, mais a esencia perdura...

Beijinhosss.
;)

Teresa Teixeira disse...

M.

Estive a ver as tuas fotografias e os teus textos...

Que qualidade de vida, de pensamentos que tu tens! E sinto-o mais do que nunca agora, porque estive ausente meses a fio (e também «por um fio»).

Escreves tão bem! As tuas fotografias estão lindas, mas os teus textos...

Fica bem! Bj.

Temos que voltar ao nosso chazinho...

legivel disse...

... procurou nervosamente em todos os bolsos e da chave nem vestígio. Ao fundo da rua ouviu o seu nome "Senhor Roberto!". Era uma das empregadas da padaria de onde tinha saido havia pouco. "Tenho aqui a sua chave que deixou em cima do balcão." Não havia qualquer dúvida; esquecia-se de tudo e mais alguma coisa e em qualquer lugar. A sua memória estava a degradar-se paulatinamente. Agradeceu à mulher e quando ia levar a chave à fechadura ela admirou-se "Mas o senhor Roberto não mora aí! Essa é a casa cujo lateral ruiu e não é habitada há muito... "

Licínia Quitério disse...

Não sei. Nem sempre. Mesmo as ruínas resistem, tantas vezes de pé.

Sempre me pões a pensar, o que é uma boa receita contra a ferrugem :))

Beijinho.

Sonia disse...

Ao ver a foto a idéia que me veio à cabeça não foi Ruína, e sim exclusão. Como se alguém me proibisse a entrada.

LÉRIAS disse...

um beijo,

branco ...........

para toi, querida M.

audrey disse...

olhar
as árvores
mesmo com a belezs decadente da
queda das folhas

tira a ferrugem

da alma, acredita!

bj

heretico disse...

beijo.grato